COTIDIANO

Revoltado, marido de mulher que abortou no Hospital Municipal diz que houve falha no atendimento

“Era um menino”, disse Leandro ao lembrar de como tudo aconteceu

Mal. Cândido Rondon
Relato dramático | 11/10/2017 14h37

Leandro Souza é marido da mulher que abortou. (Foto: Reprodução )

Leandro Souza e a esposa Michely dos Santos procuraram a redação do AquiAgora.net nesta quarta-feira (11) para relatar (VEJA VÍDEO ABAIXO) como foi a sucessão de acontecimentos que culminou no aborto da jovem, que estava grávida de 16 semanas, confirmando o que foi noticiado ontem (10) neste site. 

Segundo o relato de Leandro, na segunda-feira (09), entre 15h30 e 16h00, eles procuraram atendimento médico no Hospital Municipal por que a esposa estava com corrimento. O médico de plantão teria feito o toque e solicitado um exame de ultrassonografia.

Contudo, como não existe aparelho de ultrassom no hospital, este exame deveria ser feito na Unidade de Saúde 24 Horas. Lá, conforme foi informado para Leandro, não havia profissional para operar o equipamento.

Diante da impossibilidade de fazer o exame na hora foi cogitada a possibilidade de transferência de Michely para a cidade de Toledo. Depois, porém, resolveram internar Michely no Hospital Municipal e aguardar até o dia seguinte para realizar o exame. Leandro e a esposa entendem que se não tivesse ocorrida essa demora, o bebê poderia ter sido salvo.

Internada sem direito a acompanhante no hospital e sabedora que a sua gravidez era de risco, a jovem entrou em desespero durante a madrugada enquanto o sangramento só aumentava. Acabou ligando para o marido, que foi até o local e testemunhou a gravidade. Eles afirmam que a bolsa estourou por volta das 4 horas e que as cenas eram horríveis. A jovem gestante, no entanto, recebeu apenas um soro.

Por volta das 10h30 da manhã, segundo relato de Leandro, ela finalmente foi encaminhada à Unidade de Saúde 24 Horas, onde foi feito o ultrassom. Na unidade ela teria chegado a desmaiar, devido a quantidade de sangue que havia perdido durante a noite. “Tava tudo errado, tudo errado”, fala, revoltado.

Depois do exame e com a certeza de que havia perdido o bebê, Michely voltou ao Hospital Municipal onde finalmente expeliu o feto morto horas mais tarde. “Era um menino”, disse o rapaz, bastante emocionado.

A família diz que não aceita os argumentos apresentados pela equipe da Secretaria de Saúde e não vê o caso como uma fatalidade. “Vamos procurar nossos direitos”, concluiu.

O relato de Leandro foi transmitido ao vivo pela fanpage do AquiAgora.net no Facebook e pode ser assistido na íntegra:

 


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp